Bienal do Livro movimenta o Sertão pernambucano

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

 
O evento que está em sua primeira edição acontece em Salgueiro e irá homenagear o escritor Raimundo Carrero (foto)

     A I Bienal do Livro do Sertão vai levar oito dias de muita literatura para o sertão de Pernambuco. Entre os dias 12 e 19 de outubro, a cidade de Salgueiro será sede do maior evento de literatura da região.  O evento, que vai ser instalado no Ginásio Poliesportivo Francisco Torres de Carvalho, irá ocupar uma área de 3.500 m² e irá reunir mais de 100 editoras e distribuidoras nacionais. O evento irá movimentar cerca de 2,5 milhões de reais na região e irá gerar mais de 500 empregos diretos e 2 mil indiretos. A primeira edição da Bienal terá como homenageado o escritor salgueirense Raimundo Carrero.
     A Bienal do Livro do Sertão faz parte das ações do Circuito Literário de Pernambuco (Clipe), projeto que propõe percorrer, anualmente, o Estado de Pernambuco, levando aos professores, estudantes e ao público em geral o acesso a literatura, escritores, ilustradores e editoras.
     Entre os autores e palestrantes já estão confirmadas as presenças da sexóloga do programa Altas Horas, Laura Muller, o poeta Jessier Quirino e o jornalista Magno Martins. O público vai acompanhar uma programação que inclui palestras, debates, recitais, conversas literárias, intercâmbio literário-cultural e Feira do Livro. O local contará, ainda, com Café Literário, Casa do Escritor, Vila da Criança, Espaço Jovem e praça de alimentação. Os professores também vão contar com atividades direcionadas para área educacional, que irão acontecer no Espaço do Professor, local destinado para debates e apresentações de teses e dissertações. Todas as atividades da Bienal são gratuitas.
    A I Bienal do Livro do Sertão é uma realização da Andelivros (Associação do Nordeste das Distribuidoras e Editoras de Livros), com patrocínio da Prefeitura de Salgueiro.

Serviço:
I Bienal do Livro do Sertão
Local: Ginásio Poliesportivo Francisco Torres de Carvalho
De 12 a 19 de outubro
Horário de funcionamento:
Aberto ao público das 10h às 22h.

Escolas de Garanhuns receberão kits de leitura

     As escolas municipais de Garanhuns, cujos profissionais estão sendo capacitados nas oficinas gratuitas do Festival Internacional de Literatura Infantil (Filig), e seis bibliotecas da cidade, vão receber Kits de Leitura formados por um acervo de livros infantis que serão entregues em um expositor com suporte para os livros.
    Ao todo, serão 58 kits. A seleção dos livros seguirá as recomendações da Fundação Nacional do Livro Infantil Juvenil (FNLIJ) e da curadoria do festival.
     A primeira Oficina de Mediadores de Leitura aconteceu em agosto. Até dezembro, serão realizadas mais quatro oficinas, sendo mais uma de Mediadores de Leitura e outras três de Gestores de Bibliotecas.
   As oficinas são atividades paralelas do Festival Internacional de Literatura Infantil (Filig), que movimenta Garanhuns no período de nove a 12 de outubro.

É a semana mais poética do ano

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Foto: Começou a semana mais poética do ano.

CABRAS DE LAMPIÃO - NAS VEREDAS DO SERTÃO

Foto: Divulgação

     O GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO arruma o matulão e arrocha as alpercatas pra entrar nas caatingas e dançar Xaxado nos distritos e povoados de sua própria terra, Serra Talhada, Terra de Lampião e Capital do Xaxado. Já se apresentaram no mês de agosto em Serrinha e Água Branca.  “E não vamos apenas dançar Xaxado, vamos também ministrar oficinas de Xaxado,  com outras danças de alto quilate da cultura pernambucana”, comemora Karl Marx, ator e dançarino do grupo.
    O Projeto vai percorrer oito comunidades da zona rural, tendo como público alvo estudantes, trabalhadores rurais, donas de casa, pessoas que não vem costumeiramente à sede do município. “Faz vinte anos que estamos construindo essa história, e é muito bom nos apresentarmos nos grandes palcos, em festivais internacionais, explica a diretora e coreógrafa Cleonice Maria, “mas bacana mesmo é levarmos nosso espetáculo para as comunidades que pertencemos e nos inspira”, esclarece entusiasmada.

PROGRAMAÇÃO

09 às 12 hs. e 13 às 16h.
Oficina de Xaxado, Frevo e Coco

16: hs.
Mostra de Resultado das oficinas
Espetáculo Mistura Pernambucana
Palestra sobre CULTURA
Grupo de Xaxado Cabras de Lampião

LOCALIDADES:

Setembro
Dia 16 - Santa Rita
Dia 17 - Varzinha
Dia 23 - Logradouro
Dia 24 – Caiçarinha da Penha

Outubro
Dia 14 – Tauapiranga

Este Projeto – MANUTENÇÃO DO GRUPO DE XAXADO CABRAS DE LAMPIÃO – tem o patrocínio da FUNDARPE / FUNCULTURA / SECRETARIA DE CULTURA / GOVERNO DE SERRA TALHADA. Com o apoio da SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA E TURISMO / SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO / PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRA TALHADA.

E pra missa de João Paraibano, eu fiz:

quinta-feira, 11 de setembro de 2014



       Trono sem rei

João da Luz fez do pinho uma caneta
Que não teve no tempo de escola.
Escreveu o que quis com a viola,
Reluzente e ligeiro qual cometa.

Precisando, a usou como escopeta,
Atacando a miséria que assola,
Defendendo a poesia que consola,
Decantando o palácio e a sarjeta.

Com o pinho, fez cedo o seu enlace,
E com ele no peito e sob a face,
Implorou por Jesus e pela lei.

Mas agora, sem João, na orfandade,
Dorme o pinho no trono da saudade
E o sertão chora a falta do seu rei.

< Alexandre Morais, 09/09/14 >

Coisas de Jessiê Quirino

GAVETA DE BUGIGANGA


< Trouxe lá do Jornal da Besta Fubana: www.luizberto.com >

A
ABREVIAÇÃO

O cabôco beradeiro desacerta nas palavras, mas acerta nas idéias:

Sou mais Pêdo Balaieiro, com seu balaio de verbos sem nunca ser dado ler, do que o cabra estudado, aprendido e letrejado, diplomado em nunseiquê, com cabeça de minhoca, dos que abrevia pipoca parando na letra “C”.

ASSUNTO DO ANO
O assunto do ano foi o palco gigantesco que o prefeito construiu na praia; tanto que batizou com o sugestivo nome de: Assunto.
O problema: Ninguém queria tocar no Assunto.

B
BOFETE COM CIDADANIA
Hoje, não se pode dá um bofete em ninguém sem autorização judicial.

BOLE BOLE
As coisas que realmente bolem comigo são: gangorra, rede e cadeira de balanço, catabi…

C
CAUBY
Cauby Peixoto é um dos maoires Frank Sinatras do Brasil.

CHIQUÊ DE MACACO
Macaco chique só come morango. Morangotango.

D
DESIGUALDADE SOCIAL
Um morava na Rua do Meio.
O outro no meio da rua.

E
ENERGIA
Decepcionado feito quem brinca com luz de vela e PUFO! Chega energia.

ESPINGARDA
O cabra espingardeou o braço esquerdo, pegando o cano invisível, envergou o dedo num gatilho invisível na frente da venta; elevou o cotovelo direito na altura do ombro e disparou um tiro de boca: PÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Foi pena pra todo lado.

F
FIM DE ANO
Hoje em dia, novembro ta que é Dezembro puro: Marca-se tempo pra tudo… Ninguém tem tempo pra nada. Dezembro é festa acabada.

FADIGA DO FATIGADO
Estava tão fatigado que só rezava pra santo que estivesse sentado.

G
HISTÓRIA CENSURADA
História do padre tatuado na virilha que esqueceu o celular no motel e engoliu a lente de contato misturado com um Engov.

H
hossada de Dinossauro
Se tirar o agá, sai o dinossauro e ficam os ossos.

I
Iê-iê-iê da tartaruga
A tartaruga, bicho
É um bicho que mora nela, morou?
Sua cara não passa da carapaça.
Já Roberto, bicho
É um cara que mora onde a brasa mora

J
JASMIN
Era um branco esverdeado feito Quisuko de jasmin.

JOVENS
Os jovens precisam cumprir a lei de responsabilidade bimbal.

K
Kadeia com K
Só para crimes do canudinho branco

L
LAMPIÃO era calmo, mas tinha um bufete aparecendo por baixo do gibão

M
MOTE SENSURADO
Um pecado embrulhado na calcinha
Acha logo um estojo peniano.

N
NERO
…Aquela história do incêndio foi nera coincidência.
NU ARTÍSTICO é moldura e um pouco de fora. Mostrou muito é sacanegm.

O
OLIMPÍADAS DO VOVÔ
Vovô vencia catorze netos com barreira.

OFTALMOLOGISTA
Quando um cisco entra no of do oftalmologista são ofos do ofício.

P
PIPOCO
O “esse” fazia: Ssssssssssssss!!!! Se preparando pro pipoco. POU!

PORTO SEGURO
O chão é o subsolo do céu; o porão do paraíso. Um grande porto seguro, sem batida de urubu, sem pigarro de avião, sem fino de meteoro, sem foguete voador.

Q
Por que o “Q” não perde o cordão umbilical?

QUEM AMIGA AVISO É
Num vá que você se lasca.
Foi, lascou-se.

R
REFORMA ELEITORAL
Retirar as poltronas giratórias do parlamento e trocar por tamboretes.
Vá lá que o cabra não faça nada, mas ficar encostado e rodando já é demais!

OUTRA: Instituir a Sobrada Parlamentar; que consiste em arrancar uma perna do tamborete toda vez que o cabôco disser besteira na tribuna.

OUTRA: Tornar inelegível o parlamentar que não souber dizer a palavra inelegibilidade, sem ler e sem ser soprado.

OUTRA: Tornar Crime Eleitoral o uso de Photoshop pra maquiar retrato de campanha: Evitar que o cabôco mafioso, empata-foda e enchouriçado apareça Frei Bonzinho, amiguinho e encantador.

S
SAL
Tão prudente e comedido que estava ficando pálido bem dizer da cor de sal; com pouco sal.

T
TIBUNGÃO CULTURAL
Pra tibungar na cultura, pule na piscina de vinte e cinco mil livros da Biblioteca de José Mindlin. Cabôco tibungador.

TEM CADA UMA QUE DÁ DEZ
Alzira ficou alzirada com seu nome de casada:
Chamava-se Alzira Mandaí Almeida Braga. Casou-se com um peruano de sobrenome Garrafa. Tirou o “Braga” do nome e acrescentou Garrafa.
Botaram na identidade: Alzira Mandaí A. Garrafa. Aí ela pegou ar…

U
URGENTE
Vende-se um Lava-Jato a jato.

V
VENDA SUPERFATURADA
Vende-se, uma fábrica de empilhadeira de empilhar corrupção. 

VISGO DE JACA
Maria Visgo-de-jaca formou-se em esparadrapo na melhor escola de enfermagem da Califórnia. Era uma das maiores esparadrapistas dos Estados Zunidos.
Foi limpar a janela do apartamento ficou grudada na fachada… Morreu!

W
WAQUEJADA DO WAVÁ
Fatuuuuuura pião! $$$$

X
Xexenta por xento dos pernambucanos chia. Só não chia em banana. Mas, nas caxcas!!! 

Y
IPSILONE
Sem um ipsilone a mais ou a menos: prefeito andando na periferia é feito uma cadela no cio: andando e puxando a cachorrada.

Z
ZANGA
Primeira palavra de Seu Lunga:  bu-bu-danado!

foto

Vai João, vai fazer dupla com Deus

terça-feira, 2 de setembro de 2014




Foto: Claudio Gomes
                Vai poeta, senta ao lado
                De quem te fez cantador
                E cante mais mil baiões
                Duplado com o Senhor
                Que agora a criatura
                Juntou-se ao Criador


                Soube da notícia logo cedo, mas estava viajando e só agora paro pra refletir um pouco. Mas não há o que se diga porque é impossível dizer o que se sente quando se sente profundamente. João foi um dos grandes ídolos que se tornaram amigos. Que privilégio!
                Digo amigo porque além dos bons momentos vividos dentro e fora da poesia, vivemos um momento ímpar. João contou-me muita coisa sobre sua vida. Na metade da conversa já estávamos chorando, tamanhas foram as dificuldades vividas pelo menino, rapaz, homem e iniciante na cantoria. Mas ele persistiu e venceu a tudo. E acho que a todos também.
                Dali eu pensei em escrever um livro pra mostrar o João que só os amigos conhecem. Ele concordou com uma ressalva: “poeta, faça uma coisinha pequena, do meu tamanho mesmo... não faça aqueles grande, pesado, não.” Eu disse e digo: mas João, cada verso teu já é grande e pesado, não importa o tamanho do livro.
                Foi por SER poeta em essência que batizei o trabalho de “João Paraibano, poeta pela própria natureza.” Tá com o ilustrador e a ideia era lançar no próximo dia 11 de outubro, eu seu tradicional festival aqui em Afogados.
                Mas sei lá, o livro era dele... Vamos ver, vamos ver...
 
                Alexandre Morais, no triste dia de 02 de setembro de 2014
               

 
 
 
 
Template modificado por WMF-Mídia Design | (87) 9918-2640 / 9620-2552